jump to navigation

Antecipamos! 23/05/2009

Posted by Julio Simões in O Retorno.
trackback

Falta pouco, muito pouco. Em tempo, exatamente uma semana para que o público paulistano possa assistir a um filme em um dos cinemas mais antigos da cidade. Na arrumação, apenas alguns detalhes técnicos – na fiação elétrica, por exemplo – e nas bombonières, que ainda estão sem qualquer produto.

Neste sábado, o blog conseguiu com exclusividade entrar no Cine Marabá e pode conferir de perto o belíssimo trabalho feito pela PlayArte e comandado por Samuel Kruchin e Ruy Ohtake. O passeio foi rápido, mas merece ser descrito para os fãs da sala, que certamente não aguentam mais esperar.

Vamos, pois, desde o início. A fachada já é conhecida de todos que passam pela avenida Ipiranga desde algumas semanas atrás. O letreiro está no alto, ainda mais destacado do que quando fechou, em 2007. As bilheterias antigas, que agora serão apenas ornamentos, já tem vidro e revestimento acrílico para evitar possíveis vandalismos. Desta parte, apenas o enorme cartaz do lado direito ainda não foi instalado – fica a expectativa.

Ultrapassando a porta principal, vê se as colunas imponentes e amareladas no centro, as novas bilheterias ao estilo multiplex (com vidro e tela de plasma com a programação em cima) na direita e as entradas para as salas 1, 2 e 3 logo à frente.  As salas 3 e 4, no piso superior (antigo balcão), tem acesso por portas e escadas laterais – e elevadores para deficientes, claro. No centro do hall, completamente restaurado, há a primeira das três bombonières do novo cinema.

Durante nossa visita, os painéis de plasma estavam ligados, provavelmente em teste. Após as portas de entrada para as três salas do piso térreo, outros painéis – estes verticais – exibiam cartazes digitais de filmes prometidos pela PlayArte, inclusive o de Jonas Brothers 3D, aquele que terá a honra de estrear a nova tela da sala 1.

Tais painéis, aliás, localizam-se nos corredores de acesso para as salas, formados pelas salas ovais criadas a partir do espaço físico que antes era da única sala de projeção de quase 1500 lugares. A número 1 tem duas entradas, pela esquerda e pela direita, pelos lados da segunda bombonière (a terceira fica no andar de cima). É ela que preservou alguns traços antigos, como a boca de cena e a posição de parte das cadeiras.

Ao entrar nela, o choque. A inclinação stadium dá o ar moderno, mas as gravuras na lateral da tela (a tal boca de cena) relembra à década de fundação do cinema. Particularmente, uma mistura bem feita e que já vale a visita ao cinemão. E, mesmo sem conseguir visitar as outras salas, o blog tem certeza de que São Paulo vai saber valorizar o novo Marabá. E certamente sentirá orgulho dele.

Boca de cena e tela vistas da última poltrona à esquerda

Boca de cena e tela vistas da última poltrona à esquerda (foto: Julio Simões)

Visão à esquerda das poltronas, que são dispostas de forma circular

Visão à esquerda das poltronas, que são dispostas de forma circular (foto: Julio Simões)

Anúncios

Comentários»

1. Nane - 23/05/2009

Ei Julio. Que boa notícia. E melhor ainda saber que você continua engajado nesse projeto. Espero que de alguma maneira eu tenha contribuído para isso.

Vamos marcar uma sessão assim que reinaugurar o Cine.

Beijos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: